Madeira, a ilha dos contrastes...

26-08-2019

A poucos dias de atingir a maioridade e enquanto pensava nos planos para comemorar a data, fui presenteado com uma viagem à Madeira. Não imaginava que a beleza desta ilha me fosse marcar tanto...


Saímos de Lisboa bem cedo, ainda de noite, do terminal 2 com a EasyJet, por sinal o meu primeiro voo com uma companhia low cost. Tudo muito tranquilo, o avião não ia cheio e por isso ainda deu para fazer algumas brincadeiras fotográficas e aproveitar o nascer dos sol sob os céus do atlântico :) !

Chegamos pela manhã e por isso pudemos aproveitar o dia inteiro. Como tinhamos feito o "trabalho de casa" já tinhamos uma ideia do que queriamos visitar. Para isso alugamos um carro para os três dias, o que se revelou uma excelente opção para poder visitar todos os pontos que tinhamos escolhido ao nosso ritmo. 

Pico do Facho

O primeiro destino foi o miradouro do Pico do Facho, um local a quase 300 metros de altitude, que surpreende pela vista desafogada para o Atlântico e para a localidade do Machico.

A zona fica ainda perto do aeroporto e  permite contemplar ao longe as ilhas Desertas. Aqui ficamos já com uma ideia de que estamos numa ilha especial!


Ponta de São Lourenço

Daqui seguimos até à Ponta de São Lourenço, a parte mais a Este da ilha. Existem bastantes trilhos que me deixaram "com água na boca" mas que desta vez não faziam parte da nossa rota. Ficarão para uma próxima visita, está prometido! Nesta zona sentimos um microclima perfeitamente diferente do resto da da ilha. Algo mais seco e parecido com o norte de África, mas muito agradável.

A vegetação é rasteira e o recorte dos montes a verde e castanho sobressai na imensidão azul.

A beleza da paisagem é verdadeiramente incrível e fez-me sentir uma enorme paz interior...

Torna-se difícil escolher o melhor "boneco", mas deixo aqui alguns ...

Santana

Depois seguimos para Oeste em direcção a Santana, onde visitamos as famosas casas típicas que aparecem em todos os postais da Madeira!

Aqui aproveitamos para provar as famosas bananas da Madeira...

Toda a costa Norte da ilha é extremamente verde e de uma beleza impressionate. Por vezes pensei que estava no Havai devido ao recorte das montanhas com a sua vegetação tropical entaladas entre as nuvens. Noutras zonas parece que estamos na Suiça com as casas a pintarem a paisagem no fundo dos vales.  

Cabo Aéreo

Continuamos sempre pela costa em direcção a São Vicente passamos ainda pela pequena localidade de Arco de São Jorge onde pudemos apreciar a vista no miradouro do Cabo Aéreo.

Miradouro do Véu da Noiva

Entre São Vicente e o Seixal fica este miradouro que recomendo. A sua cascata dá origem ao nome e toda a zona envolvente é Top!

Por falar em cascatas, elas surgem quando menos esperamos e também contribuem para o fascínio deste local. Por toda a ilha encontramos cenários de uma beleza que por vezes faltam as palavras para descrever com exatidão...

Seixal

Foi outro ponto muito agradável que visitamos. Aqui parece que o tempo parou e uma sensação de isolamento agradável convida ao relaxamento.

A Madeira conta com imensos tunéis que facilitam as delocações. Doutra forma seria impossível visitar a ilha e ver tanto em somente 3 dias...

Cabo Girão

Já na costa Sul a quase 600 metros de altitude fica o Cabo Girão. Não é aconselhável para quem tem vertigens, mas a vista é fenomenal. Em baixo avista-se uma fajã que pode ser visitada através de um teleférico.

Vale a pena ficar para o pôr do sol...

Neste miradouro podemos observar Câmara de Lobos e o Funchal. O pôr do sol é um momento quase obrigatório.

Funchal à noite

Esta visita foi realizada durante o período natalício mais precisamente na altura dos "Reis". Assim a cidade encontrava-se com a decorações típicas da época o que tornou a visita ainda mais agradável.

A baía do Funchal nesta altura do ano lembra um presépio gigante. Presenciar ao vivo impressiona.

Todas as ruas e jardins estão magnificamente decorados e os locais e turistas misturam-se nas ruas tornando o ambiente muito acolhedor.

Baía do Funchal


O Funchal pode e deve ser apreciado de diferentes locais sendo que cada local apresenta sempre detalhes e prespetivas diferentes. Mas destaco um miradouro em particular. Localizado na freguesia de Santo António, está o miradouro do Pico dos Barcelos fica a 355 metros de altitude e proporciona uma vista panorâmica muito completa de toda a baía do Funchal.

Curral das Freiras

Dispensa muitas apresentações pois trata-se de outro ponto turístico muito conhecido. A estrada até lá é estreita e exige muita atenção mas no fim vem a recompensa com uma paisagem  que corta a respiração... Como é possivel numa ilha tão pequena existirem tantos contrastes?

Miradouro da Eira do Cerrado

É do Miradouro da Eira do Serrado que fica situdo a 1096 metros de altitude, que podemos desfrutar da melhor vista panorâmica sobre o Curral das Freiras e as grandiosas montanhas ponteagudas do maciço central que a rodeiam.

Este isolamento tinha uma explicação... conta a tradição que por aqui se escondiam as freiras dos ataques dos piratas...

Pico do Areeiro

O segundo pico mais alto da ilha oferece-nos uma paisagem de 360º onde podemos apreciar as montanhas em redor e o mar em fundo azul. Sinto-me uma "esponja" a absorver e saboriar a beleza da zona que só as nuvens teimam em esconder. Verdadeiramente uma zona que mercece uma visita numa próxima oportunidade para fazer um dos trilhos que seguem até ao Pico Ruivo.

Tenho a certeza que a Madeira esconde nesta zona muitos locais que merecem ser visitados com mais tempo. Até já!

Riberia da Janela

Voltando à face norte da ilha, fomos adaptando o nosso trajeto inicial de acordo com aquilo que a paisagem nos oferecia. Visitamos vários locais que quase passavam despercebidos... pois não faziam parte do plano inicial... mas ainda bem!

Ribeira da Janela, foi um desses "hotspot" que também não irei esquecer...

Porto Moniz

Famoso pelas suas piscinas natuais foi palco do meu primeiro bolo do caco! Esta localidade fica quase na extremidade Oeste da ilha. O contraste das rochas vulcânicas e a cor da água das piscinas oceanicas combinam na perfeição.

Miradouro da Santa

Do Miradouro da Santa pudemos observar a vila do Porto Moniz com as suas piscinas naturais e o Ilhéu Mole.

Extremidade Oeste, Ponta do Pargo

Na ponta mais a Oesta da ilha fica a Ponta do Pargo e o seu farol. Os campos em redor são muito verdes e algumas vacas vão pastando por aqui. O contraste com a Ponta de São lourenço não podia ser mais evidente pois a humidade por aqui faz com que a vegetação seja mais exuberante.

O Miradouro do Fio ligeiramente mais a Sul fica no entanto mais elevado e proporcionou uma vista mais imponente desta zona da costa.


Miradouro do Fio

Curiosidade

Manda a tradição que por aqui os muitos habitantes fazem pequenos presépios com todos os detalhes fora das suas casas o que leva a verdadeiras romarias para apreciar estes pequenos tesouros.

Paul do Mar

Outra pequena localidade escondida na face ocidental da ilha que me impressionou. A sua praia de seixos é conhecida pela praia da Ribeira das Galinhas. O seu porto de abrigo acaba abruptamente na parede vertical da montanha. Uma cascata para o mar acaba por dar um toque de midas ao local. 

A viagem pela costa ocidental até ao Funchal estava no fim e foi sendo realizada com o pôr do sol de janeiro a pintar a ilha de tons laranja que nos faziam esquecer o inverno do continente...

Destaco ainda um local especial, O Restaurante a Casa Viola em Câmara de Lobos, onde pude exprimentar uma verdadeira poncha de tangerina e as espetadas mais deliciosas que alguma vez provei. O local é tipico e o atendimento TOP. (obrigado Luisa pela dica!)

Hotel Alto Lido

Este hotel como o nome indica fica situado na zona do Lido e tem quartos amplos e muito confortáveis. O atendimento é muito profissional e simpático. O pequeno almoço é variado e adequado com excelente qualidade.
Dispõe de parque de estacionamento (pago) o que ajuda bastante pois o estacionamento na zona é difícil.
Deixo uma palavra especial de agradecimento para todo o staff por se ter lembrado de que estavamos de visita à ilha da Madeira para festejar o meu aniversário.


O nascer do Sol visto do hotel ALto Lido.

Funchal

Por fim a visita de dia à baixa do Funchal durante o dia permitiu percorrer a pé e sentir a alma da cidade.

Mercado dos Lavradores

Outro local a não perder no Funchal é este mercado. Embora hoje em dia seja  vocacionado para os turistas é ponto obrigatório para se conhecer a riqueza da ilha da Madeira. Podemos provar e adquirir frutos exóticos e apreciar a beleza das flores e frutos de todas as cores e formas e outras plantas endémicas como especiarias que nem imaginava que existiam! O peixe espada e o atum também marcam presença. Este mercado data de 1940!

As Flores que são as rainhas do mercado!

A caminho do teleférico vale a pena a visitar a zona velha do Funchal onde podemos avistar o porto e por entre ruelas antigas podemos apreciar magníficas pinturas que contrastam com as casas antigas e típicas.

No Funchal apanhamos o teleférico que permite a vista panorâmica da cidade e da sua baia e termina no Monte, onde podemos visitar o Jardim Botânico e a Igreja de Nossa Senhora do Monte.

Nesta Igreja está o tumulo do último imperador do império Austro-Húngaro, Carlos I, que passou os últimos tempos da sua vida exilado na ilha da Madeira...

Para descer novamente até ao Funchal estam sempre disponíveis uns "carros cesto" que fazem as delicias dos turistas que fazem fila para exprimentar a sensação de adernalina por entre as ruelas inclinadas.

Machico

Reza a história que foi por aqui que desembarcaram os descobridores da ilha. Um ano após a descoberta acidental de Porto Santo, há precisamente 600 anos chegavam à Madeira os primeiros portugueses.


E por fim chegou a hora de partir mas certamente voltarei pois ainda ficou muito por visitar. Esta visita foi uma agradável surpresa que recomendo vivamente! Até já Madeira!