Lisboa menina e moça!

"Aqui o mar acaba e a terra principia"


No início de março, tive a hipótese de deambular pelas ruas de Lisboa, com toda a minha turma de 12º ano, tal como Ricardo Reis terá feito na obra de José Saramago, ainda que sozinho, cujo nome é O ano da Morte de Ricardo Reis.

Após uma breve palestra na fundação do escritor, sediada na casa dos bicos, saímos à rua e seguimos as pisadas da personagem principal da obra. 

A primeira paragem foi junto ao café/restaurante centenário Martinho da Arcada (datado de 1782), referido na obra, que se localiza num dos cantos do Terreiro do Paço. 

Aqui tivemos algum azar com o tempo e por isso seguimos junto às arcadas do terreiro do paço, avistando ao longe o cais das colunas.

Caminhando mais um pouco chegámos à Praça do município, onde se encontra a câmara municipal de Lisboa.

Daqui seguimos pela rua do Arsenal até ao atual LX Boutique Hotel, que no passado foi o Hotel Bragança, referido na obra de Saramago. Foi aqui que ao chegar a Lisboa, se hospedou Ricardo Reis nos primeiros tempos, num quarto com vista para o rio.

Subindo a Rua do Alecrim, passámos pela estátua Eça de Queiroz até chegar à praça Luís de Camões. Pelo caminho deliciei-me com pormenores da cidade, pelos elétricos que andavam para trás e para a frente  e pelas travessas, todas elas diferentes e especiais....

A paragem seguinte foi o miradouro de Santa Catarina, onde se encontra a estátua do adamastor.

Daqui a vista para o Tejo deslumbra qualquer um. Ao longe avista-se a Ponte 25 de Abril e a margem sul, para onde se dirige o cacilheiro das fotos.

Seguindo o percurso, passámos por locais referidos no livro como a sede da PVDE e o largo de São Carlos. No final descemos o chiado chegando ao Rossio, onde terminou o passeio pela Cidade de Lisboa.

"Aqui, onde o mar se acabou e a terra espera."