Itália - Roma, Florença e os finalistas de 2019

26-04-2020

Em abril de 2019, no meu último ano do ensino secundário tive a oportunidade de visitar Roma, a Cidade do Vaticano e Florença com colegas e professores. É algo que guardaremos para a vida, disso não tenho dúvidas pois foi fenomenal! Obrigado a todos por terem tornado esta viagem tão especial!  


Voo Ryanair - Aeroporto Roma Ciampino

Saímos de Lisboa bem cedo em direção ao aeroporto de Ciampino em Roma. Após a aterragem fomos diretos para o hotel (Hotel Ibis Styles Roma Art Noba) onde iriamos permanecer nas três noites seguintes. Um hotel simples, com uma decoração moderna, que cumpriu plenamente com o pretendido, visto estar relativamente próximo de transportes públicos que nos permitiram deslocar facilmente até ao centro da cidade.

Checkin feito, começamos a aventura pela cidade. Deslocamo-nos até à estação de metro Libia e seguimos até à Piazza del Popolo.

Piazza del Popolo

A Piazza del Popolo, é ainda hoje uma das mais emblemáticas praças da capital italiana. No centro apresenta o terceiro obelisco egípcio mais alto de Roma, com cerca de 24 metros de altura. Este, terá sido saqueado na época em que o império Romano tomou posse do Egito. Assim, por volta do ano 10 a.C., o obelisco Flaminio foi trazido até Itália, a mando do  imperador Augusto, e colocado no centro desta praça.

Caminhando pelas ruas junto à praça é possível encontrar e apreciar deliciosos detalhes em praticamente todos os edifícios que apresentam maioritariamente tons laranja. Um cenário pitoresco.

Subindo por uma das laterais da praça, é possível alcançar o Terraço do Pincio (Terrazza del Pincio), de onde se pode saborear uma vista fenomenal sobre a Piazza del Popolo e da Basílica de São Pedro e ainda do monte Gianicolo. Sem dúvida um dos hot spots desta cidade.

É ainda possível encontrar duas grandes basílicas em torno da praça, ambas viradas de frente para a porta del Popolo, a basílica de nossa senhora do Monte Santo (Santa Maria in Montesanto), contruída entre 1662 e 1679 e a basílica de nossa senhora dos milagres (Santa Maria dei Miracoli), construída entre 1675 e 1681). 

Depois de muitas fotos e uma pequena paragem para almoçar, seguimos pela via del Babuino, a rua imediatamente à esquerda da basílica Santa Maria in Montesanto em direção à Piazza di Spagna.

Piazza di Spagna

Após uma agradável caminhada entre prédios históricos, chegámos finalmente à Piazza di Spagna, conhecida até ao século XVII como Piazza di Francia. Ali é possível observar umas das mais emblemáticas escadarias da cidade de Roma que sobe até à igreja Santissima Trinità dei Monti. 

A seguir continuamos a caminhada pela via dei condotti, uma rua cheia de lojas das melhores marcas.


Fontana di Trevi

A paragem seguinte foi a célebre Fontana di Trevi. Sendo a mais alta e imponente de Roma, está encostada a uma das fachadas do Palazzo Poli. Contudo, por não ser um local muito amplo, verifica-se uma grande concentração de turistas e locais, pelo que é um local onde é necessário ter maior cautela com os bens.

Acabamos o dia a caminhar pelas ruas iluminadas da cidade de Roma...

Depois de tanto caminhar por ruas históricas da cidade "eterna" o fim do dia aproximava-se. Era hora de carregar "baterias" para o dia seguinte.


 Cidade do Vaticano

No segundo dia começamos por visitar a cidade do Vaticano, sede da igreja católica. Este enclave envolto de muralhas no interior da cidade de Roma, é considerado o país mais pequeno do mundo.

Vale a pena visitar os museus do Vaticano e apreciar a coleção das fantásticas obras de arte criadas ao longo dos séculos.

Visitámos ainda dois dos locais mais icónicos do Vaticano. A Capela Sistina, inspirada no templo de Salomão e famosa pelos seus frescos renascentistas, sendo o mais famoso deles A Criação de Adão, pintado por Michelangelo e a Basílica de São Pedro, o maior local de culto católico do mundo. Esta basílica, demorou cerca de 120 anos a ser contruída, tendo sido inaugurada em 1626.

Depois de visitar o Estado mais pequeno do mundo voltamos a explorar Roma!

Tivemos a oportunidade de tirar planos interessantíssimos das diversas pontes que atravessam o rio Tibre. Neste percurso podemos contemplar, ainda que exteriormente, o Castelo Sant'Angelo, cuja sua estrutura primitiva remonta ao ano de 135.

Coliseu

O Coliseu ou Anfiteatro Flaviano é considerado uma das 7 maravilhas do Mundo moderno. Este foi um local onde ocorreram diversos tipos de espetáculos, desde lutas entre gladiadores até cerimónias teatrais relacionadas com temas da epóca. Até os espetadores eram divididos de acordo com as suas classes sociais...

O Coliseu teria capacidade para entre 50 a 80 mil pessoas e o fim da sua edificação, data do ano 79. Esta imponente construção em mármore apresenta lacunas em várias partes, tendo desaparecido inclusivamente grandes pedaços que serviram para a construção de outros edifícios, como por exemplo para a Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Sempre a boa disposição presente!

Monte Palatino e Forúm Romano

Coliseu visto, seguimos para o monte Palatino, a colina mais central de Roma e para o Forúm Romano (antigo centro da cidade). Passamos por diversos locais administrativos e de culto durante este percurso.

O Forúm Romano foi durante muitos anos o centro comercial e administrativo da cidade, sendo por isso um dos locais mais importantes do império Romano.

Nada melhor para acabar o dia em grande do que um jantar em grupo no Hard Rock Cafe de Roma!


Florença

O terceiro dia começou cedo e foi dedicado a visitar a cidade de Florença. Saímos bastante cedo de Roma e seguimos de autocarro até ao nosso destino.

Considerada o berço do renascimento italiano, Florença é uma espécie de postal onde a arte combina linhas e cores em perfeita harmonia.  Fomos brindados desde a chegada com paisagens incríveis que justificaram plenamente a visita.

Ao caminhar pelas ruas desta cidade achei surpreendente os pormenores das janelas, dos telhados, das cores que embelezam todos os edfifícios.  

Duomo di Santa Maria del Fiore 

A catedral de Florença, uma das edificações mais famosas desta cidade,  foi projetada por Filippo Brunelleschi tendo a sua construção terminado em 1436. Apesar de não ter visitado o seu interior, derivado das imensas filas que existiam no local, valeu a pena contemplar as suas fachadas exterirores.

Ponte Vecchio

Talvez o ponto mais emblemática de Florença seja a Ponte Vecchio sobre o rio Arno. Atualmente repelta de lojas e turistas, esta  ponte foi desde sempre local onde mercadores comercializavam os seus produtos. Segundo os historiadores esta ponte terá sido destruida nas cheias que assolaram Florença em 1333, e reconstruída em 1345.

Palazzo Vecchio 

Localizado na Piazza della Signoria, o "Palácio Velho" consiste num antigo palácio que ao longo dos séculos foi sendo ampliado até atingir a forma quadrangular que hoje o caracteriza. Este imponente edifício remonta ao século XIV e  a sua contrução tería como objetivo albergar o corpo administrativo de Florença.

Há momentos que nao iremos jamais esquecer.

No final de mais um dia fantástico, voltamos a Roma e jantamos no hotel. No fim ainda saímos para beber um copo.  LOL


O último dia foi reservado para apreciar vários monumentos do centro de Roma.


Monumento a Vítor Emanuel II

O Primeiro rei da Itália (unificada), Vítor Emanuel II teve em sua honra a construção deste monumento após a sua morte. Vale a pena visitar, subindo ao topo e  tirar algumas fotos à cidade lá do cimo.

Apartir dali iniciamos nova aventura pelas ruas pitorescas e em tons alaranjados da cidade das 7 colinas, tal como Lisboa!

Panteão

Neste percurso passamos pelo Panteão, um edifício com quase 2000 anos...

Piazza Navona

Outro ponto interessante de passagem foi a Piazza Navona, onde também se situa a igreja barroca Sant'Agnese in Agone. Estes, são dois importantes marcos da cidade que merecem ser visitados.

A camaradagem foi  sempre algo que esteve presente!

Campo de' Fiori

Local de comércio há já muitos séculos, existe nesta praça um mercado de rua com flores, frutas e outros produtos hortículas.

Existe ainda aqui uma estátua em homenagem ao filósofo Giordano Bruno, que terá sido executado naquele local em 1600 por defender, tal como Galileu Galilei, que era a Terra que girava em torno do sol e não o contrário.


Regresso

Ao fim de 4 dias repletos de muito boa disposição e muitos quilómetros caminhados chegava a hora de regressar, e finalizar uma experiência inesquecível que certamente todos iremos guardar para sempre. Obrigado 12 ano de 2018-2019!