Playa Maroma, México

28-08-2017


Este ano decidimos visitar novamente o México, um país cheio de história e cultura. Já em 2012 tive a sorte estar em terras mexicanas, mas noutra zona mais a sul, no hotel Gran Bahia Princípe Tulum (mais tarde deixarei um report dessa viagem). Nessa viagem acabámos por praticamente não gozar das magnificas praias deste país, dado que visitámos inúmeras contruções Mayas como: Chíchen Ítza (uma das 7 maravilhas do mundo moderno), Tulum, Coba, Ek Balam... e por isso decidimos desde logo que queriamos regressar ao México mas para desta vez disfrutar da praia e noutra zona (já que a praia do Bahia Príncipe não nos agradou totalmente). 

No dia 23 julho, chegámos cedo ao aeroporto, já a precaver as grandes filas e contratempos que vão sendo costume no aeroporto de Lisboa. Partimos por volta das 16:00, com cerca de meia hora de atraso rumo ao aeroporto  de Cancún. Viajámos pela Orbest, onde ao fim de 1 hora de voo nos foi servido  um almoço, (comida normal de avião) e mais tarde um pequeno lanche. O voo foi tranquilo e por volta da 01:00 hora portuguesa, 19:00 horas no México, (no México são menos 6 horas que em Portugal) aterrámos. Como já disse desta vez estávamos à procura de uma praia espetacular (apesar de irmos como sempre com baixas espectativas e aceitarmos o que encontramos, tínhamos feito o nosso trabalho de casa..., e por isso optámos pelo Catalónia Playa Maroma, um hotel que já teve a sua praia classificada como uma das 10 mais belas praias do mundo pelo National Geographic (e de facto compreende-se o porquê desta distinção!!).

 Este é um hotel de 4 estrelas mas que não deixa nada a desejar em relação a outros resorts das caraíbas de 5 estrelas onde eu já estive. Por ser mais pequeno, acaba por ser mais exclusivo e apresentar menos confusões e filas, o que proporciona umas férias de maior qualidade. A viagem de autocarro desde o aeroporto até hotel dura entre 20/30 minutos (já a contar com uma paragem no Iberostar, outro hotel bastante próximo). Chegámos ao hotel por volta das 3:30 a.m. hora portuguesa, 21:30 p.m. hora local (perdemos bastante tempo no aeroporto à espera das malas e à espera que o transfer arrancasse) e já bastante cansados. Quando chegámos ao hotel fizemos o check-in rapidamente e deixámos as malas no quartos. O próximo passo foi  ir ao buffet que fica aberto até mais tarde e comer umas sandes, pizzas e outros snacks (se preferirem, dado que se chega ao hotel bastante tarde, podem pedir que vos levem refeição ao quarto, serviço disponível 24 horas por dia - serviço para clientes Privileged- que era o nosso caso, mas nós preferimos ir e aproveitar para conhecer o ambiente). Ficámos no sexto bloco, no terceiro andar-previamente solicitado. Dado que eu e a minha irmã somos considerados adultos (LOL), ficámos com dois quartos, o 6301 e o 6302. Os quartos eram amplos e apresentavam uma decoração bastante agradável. Entre estes dois quartos, pela varanda víamos que estávamos na primeira linha do mar e conseguíamos comunicar o que se revelou bastante agradável... Os quartos eram limpos duas vezes por dia e a casa de banho era boa. Têm minibar, televisão LCD, secador, ar condicionado, ventoinha, cafetaria, cofre gratuito, roupões, chinelos, despertador, tábua de passar a ferro, serviço de toalhas no quarto, serviço de abertura de camas, menu de almofadas e internet (a internet em todo o hotel era muito boa apesar de depois do almoço fraquejar um pouco, talvez devido ao número de pessoas que tentavam aceder. Fora isso até na praia consegui fazer videochamadas com o meu amigo OMAR, eheh!). A localização dos quartos era excelente, estávamos junto à praia, à piscina, e aos quatro restaurantes temáticos, mas um pouco longe do buffet (tínhamos que atravessar um passeio bastante agradável com uma fauna e flora onde encontrávamos todos os dias coatis, algumas iguanas, esquilos e outros animais engraçados que passeiam pelo resort - a travessia dura cerca de 5 minutos). O calor era imenso como já é típico das caraíbas os mosquitos também eram muitos mas nada de extraordinário. À noite um repelente era essencial para não ser comido pelas melgas :).


No primeiro dia no paraíso tomamos o pequeno almoço no buffet por volta das 7:00 (hora de abertura do buffet - El Pajarito). O buffet é mais pequeno que o de outros hotéis das caraíbas, mas entende-se dado que este é um hotel de dimensões reduzidas. De barriga cheia fomos à normal reunião do primeiro dia, que se realizou no lobby (acabamos por não comprar nenhuma excursão dado que este ano o objetivo era mesmo disfrutar da praia e do hotel) e no fim seguimos com algum entusiamo para a praia. Simplesmente espetacular, água acima dos 30ºC, coqueiros perto da água, areia branca e fina... o paraíso! Havia ainda uma facha de sargaço (algas) que se estendia ao longo da praia, situação que era resolvida com tratores que todos os dias de manhã retiravam as algas e as enterravam. Ao fim de 2/3 dias a praia estava quase limpa! O resto do dia foi passado na praia a descansar da longa viagem. À noite decidimos experimentar o restaurante Tortuga (steak house), um dos restaurantes temáticos disponíveis. Os pratos eram todos excelentes, mas atenção se pedirem um prato e vos disserem que não tem picante, é quase certo que tem um pouco de picante! Se pedirem um prato e vos disserem que tem um pouco de picante, é por que vai picar bastante ;)! Situação normal não só no Tortuga mas também nos outros restaurantes. Na verdade eu até acho isto normal, afinal estamos no México o país do picante!

No dia seguinte por volta das 6 da manhã estava na praia! Este ano é que era, era mesmo para disfrutar, então fui ver o nascer do sol! FANTÁSTICO! O sol nasce mesmo à nossa frente no mar! Momentos que nunca mais vou esquecer! Depois de um bom pequeno almoço fomos dar uma caminhada para o lado direito da praia, em direção a Punta Maroma e ao local que os turistas que não estão hospedados nesta zona vêm quando visitam a famosa "Playa Maroma". A praia está virgem e só ao fundo conseguimos avistar uma pequena marina e alguns bungalows. Entre a marina e os bungalows foi construída uma pequena ilha artificial e apesar de ter uma certa piada, acaba por tornar a praia um pouco artificial. Devido a esta ilha, há ainda grandes acumulações de sargaço nesta zona e a areia parece lodo em certos sítios e noutros encontramos pequenos restos de corais. Foi uma surpresa para nós, já que este, parecia ser um local espetacular devido à envolvência dos bungalows, mas afinal a praia do nosso hotel estava muito acima do que encontramos ali. Ao almoço experimentámos o Terrace Tapas, o restaurante junto à praia exclusivo para clientes Privileged. Novamente uma boa surpresa, todos pedimos pratos diferentes e todos ficámos satisfeitos, desde a paella, ao hambúrguer, aos noodles, aos tacos de atum, tudo pratos com muita qualidade e uma excelente apresentação. Além disto, destaco a simpatia de Carlos, um dos empregados (em geral em todo o hotel fomos brindados com muita simpatia por parte do pessoal do hotel), sempre muito humildes e prestáveis. Por exemplo, no restaurante Tortuga pedimos uma salada de tomate que eles não tinham no restaurante mas mandaram um empregado a correr até ao buffet para nos trazer o tomate... A tarde foi novamente dedicada à espetacular praia e à noite decidimos que era a vez de testar o Toscana (restaurante italiano). Mais uma vez muita qualidade nos pratos apresentados e o restaurante apresentava uma decoração impecável. Resumindo, tudo impecável ao fim do segundo dia. 

Era hora de dar um salto a Playa del Carmen, uma localidade a cerca de 19 km do hotel (o Catalonia Playa Maroma está situado entre Playa del Carmen e Puerto Morelos a sul de Cancún), trajeto que se faz entre 20 a 30 minutos. Antigamente era uma vila piscatória, mas com o desenvolvimento do turismo foi crescendo e segundo a opinião dos locais, dentro de alguns anos será maior que Cancún. Atualmente a 5ªth avenida é a mais movimentada de Playa del Carmen e está repleta de lojas, paraíso dos recuerdos e onde se podem encontrar muitas lojas americanas, sonho da minha irmã...


Assim, no dia seguinte, levantámo-nos novamente cedo, vimos o magnifico nascer do sol, demos um mergulho na piscina, tivemos ainda hipótese de observar um esquilo a fugir de coqueiro em coqueiro de um dos pássaros negros que andavam sempre pela praia e seguimos para o pequeno almoço, sempre bem dispostos. Por volta das 9:00 chamámos um táxi (cobram cerca de 760 pesos mexicanos para ida e volta - cerca de 38 euros) e ás 9:30 estávamos nós em Playa del Carmen (quem preferir pode apanhar um transfere junto à estrada, que sairá mais barato, mas atenção, o percurso entre o lobby do hotel e a estrada ainda é relativamente longo e por uma estrada no meio da selva tropical!... Fica ao critério de cada um mas pessoalmente acho preferível optar pelo táxi, pois não me estava a ver andar tanto de mochila às costas e com um calor insuportável...) Ficou logo combinado que por volta da 13:00 horas nos voltávamos a encontrar no mesmo local para regressarmos ao hotel. Não era a minha estreia, era a minha segunda vez em Playa del Carmen e sinceramente a 5th avenida pareceu-me ainda maior... são centenas de lojas ao longo de toda a avenida! Aqui podemos encontrar os mais diferentes tipos de recuerdos ou roupas de marca nos novos centros comerciais. As três horas e meia que tínhamos pareciam ser muito tempo, mas na verdade tivemos que nos apressar. Existem várias lojas de grande porte com recuerdos, mas todas elas acabam por ter mais ou menos a mesma coisa, já as lojas de marca são muitas (e algumas repetidas, por exemplo há no mínimo 3 lojas da Nike só nesta rua), mas muito caras e muitas delas com pouco interesse. Resumindo Playa del Carmen está a ficar cada vez mais virada para o turismo, o que inflaciona os preços e faz com que a localidade deixe de ser típica, como eu a lembrava. Ainda assim é um sitio a visitar. Em termos de segurança, existem tiroteios com alguma frequência, quase sempre relacionados com o tráfico de droga. Por exemplo, quando chegámos ao local marcado para apanhar o táxi de regresso para o hotel, passou por nós uma pick-up da polícia municipal a alta velocidade em direção à zona mais movimentada, onde tínhamos estado precisamente à momentos. Mais tarde viemos a saber que tinha havido mais um tiroteio... e mortos...

À tarde, novamente praia, voleibol (emocionantes jogos com pessoal de várias nacionalidades, desde portugueses, espanhóis, italianos, mexicanos e norte americanos, onde predominou sempre a boa disposição) e a festa da espuma na piscina. Sinceramente esta festa da espuma não me surpreendeu. Desde logo a piscina do hotel tinha uma estrutura estranha... escadas no meio da água, locais com profundidade de 2,35 metros (o que era um pouco desagradável, dado que a piscina não era muito grande) e o chão de cimento e por isso não muito confortável. Além disso a água estava extremamente quente (arrisco-me a dizer que não estaria muito longe dos 40ºC). Sem dúvida um dos pontos negativos do hotel. Além disto ainda mandaram a espuma para uma zona onde havia escadas e não houve muita emoção. Também a equipa de animação era muito fraca. Já estive em hotéis que a animação era simplesmente espetacular como em Bayahibe (no Iberostar Hacienda Dominicus) ou no Brasil (no Iberostar Bahia), mas esta animação não surpreendeu. Todos mostravam pouca energia, não convenciam quase ninguém a participar nos jogos e em alguns momentos parecia mesmo que estavam ali por obrigação... o vólei e vários jogos entre equipas no meu último dia foram mesmo as únicas atividades engraçadas! Houve ainda tempo para provar uns crepes e gelados da creperia da piscina... excelentes!

À noite foi a vez de experimentar o Tio Pedro (o restaurante mexicano) onde nos apresentaram um leque de pratos tradicionais do México que desconhecíamos por completo (cuidado com o picante) e com musica tradicional. Mais uma vez uma boa surpresa, a combinação das cores, aromas e dos sabores, do ambiente e da música ao vivo (haviam todos os dias nos 4 restaurantes temáticos) foram fatores que contribuíram para um jantar com requinte boa disposição e muito agradável!


No dia seguinte começámos por experimentar o pequeno almoço no Terrace Tapas (restaurante espanhol). Não há palavras para descrever a sensação de tomar um pequeno almoço com uma vista panorâmica para aquela praia cheia de coqueiros e águas azuis turquesa... Em relação à comida, esta era 5 estrelas, mas para quem não gosta de comer ao pequeno almoço ovos, bacon e outras comidas do género, acaba por não ter muita escolha (têm disponíveis um ou dois pratos mais "light" como frutas ou queijos mas não é suficiente). De qualquer modo se não ficarem satisfeitos podem sempre optar por ir até ao buffet...)! De pequeno almoço tomado fui falar com os jardineiros... Apeteciam-me cocos frescos, colhidos no momento! Com grande simpatia, foram imediatamente buscar uma cana de bambu e com três ou quatro pancadas lá caíram os cocos dos coqueiros... Depois foi só abri-los com uma catana, colocar uma palhinha e disfrutar daquele sabor espetacular ... No fim decorreu uma enorme sessão fotográfica na praia com os cocos e a minha família... hahahah! 

Mais tarde foi hora de experimentar os desportos náuticos que são disponibilizados pelo hotel: catamarãs e caiaques. Por cada quarto podíamos usar o catamarã durante meia hora por dia e os caiaques uma hora por dia - Para quem não sabe andar com o catamarã, por 39 dólares um instrutor ensina-vos o essencial para poderem dar uma volta e divertirem-se neste paraíso. No nosso caso o Capitão Pena (meu pai) levou-nos a navegar de Catamarã no Mar das Caraíbas.... foi fantástico embora eu pense que ele necessita de mais algumas lições... (LOL) O resto do dia foi passado a disfrutar da praia e de alguns sumos naturais no bar Ma Loo mesmo junto à praia! 

À noite decidimos que era altura de experimentar o último restaurante temático! O Terrace Tapas, mas ... Sinceramente foi o pior jantar! Ao pequeno almoço e almoço os pratos eram muito bons e servidos com aquilo que eu chamo de charme caribenho. Mas ao jantar  aquilo que nos serviram dizendo que eram tapas nada se parecia com as verdadeiras tapas! Dos 16, sim 16... pratos que nos foram servidos, apenas 4/5 de facto eram saborosos... os outros não surpreenderam... mas o cansaço já apertava e no fim fomos diretos para o quarto.

Outro dia, outro nascer do sol maravilhoso na praia...e seguimos para mais uma caminhada. Desta vez para o lado esquerdo da praia em direção ao Hotel Iberostar. Ao longo da caminhada passamos por um hotel inacabado e de seguida por alguns corais... para minha surpresa naquela zona a água do mar devia ter menos uns 5ºC!! ... que uns metros ao lado... continuando... ao chegar à praia do Iberostar podemos novamente comprovar... que a praia do Catalonia era MUITO superior... de facto quem procura praia o Catalonia Playa Maroma está a anos luz. Para quem prefere piscinas com certeza que o Iberostar será uma melhor opção...

Antes do almoço ainda tive tempo para dar um passeio de catamarã, mas desta vez com uma amiga que conheci no México, a Sara, com quem tive a sorte de me divertir e dar grandes passeios de caiaque e catamarã todas as manhãs! O vento estava fraco mas mesmo assim ela teve a destreza e habilidade para nos proporcionar momentos incríveis! Todo o pessoal dos desportos náuticos foi super simpático à excessão de uma francesa que se mostrou um pouco arrogante, não acreditando  que conseguisse-mos manobrar o barco corretamente... (bastava conhecer os feitos marítimos dos portugueses para ter olhado para a Sara com outros olhos ...)

Ainda durante a manhã houve uma pequena festa na praia com música, dança e comida... um espetáculo interessante. A tarde foi novamente passada na praia, com a companhia de muitos sumos naturais e grandes jogos de vólei!

Mais um dia, mais um nascer do sol neste paraíso e mais passeios de catamarã e caiaque com a minha irmã, a Sara e o pai e irmão! Momentos incríveis, onde remávamos até aos corais e disfrutávamos da magia deste lugar onde vimos os peixes a nadar entre os corais e disfrutávamos do ambiente único deste local... só diversão!! O resto do dia foi para nos divertir-mos na praia, grandes mergulhos e muita animação! 

Na nossa última noite fomos brindados com uma festa noturna na praia, com muita música e muita animação! Houve ainda tempo para explorar o hotel do lado (o Belmond Maroma Resort & Spa) com a Sara! Um hotel com um excelente aspeto e pelo que me pareceu, bastante exclusivo. No final ainda  tivemos de fugir por termos sido apanhados por um segurança.... hahahah!

No dia seguinte, último nascer do sol (que saudades!!!!) últimos mergulhos, últimas fotos, últimos jogos de vólei, últimos passeios no mar e finalmente alguns jogos engraçados organizados pela animação! Era a despedida do paraíso e um até já...

 Ainda no último dia (eu e a sara) decidimos  conhecer o hotel abandonado que se via ao fundo... Aproveitamos e fizemos uma corrida matinal ao longo da praia. Não foi fácil chegar até lá já que havia muita, muita vegetação e plantas com espinhos que se espetavam nos pés.... mas lá conseguimos chegar... Piscinas vazias, vistas fantásticas do segundo piso, muitas iguanas foram alguns dos pormenores que saltaram à vista ao longo da visita, com alguns percalços! Por exemplo subimos uma escadaria e quando chegamos lá acima pareceu-nos ouvir uma pessoa! Foram momentos emocionantes e de grande suspence, mas afinal eram só aves marinhas que também voavam por ali. ahahaha!

Um dos poucos pontos negativos deste hotel foi o facto de no último dia termos sido obrigados a tomar banho nos chuveiros da piscina e trocar de roupa numa das casas de banho, depois de nos terem informado que disponibilizavam uma habitação antes da nossa saída. O hotel não tem uma zona destinada ou preparada para quem quer usufruir  até ao fim, apresentando apenas um quarto de cortesia que é solução para meia dúzia de pessoas, obrigando os outros hóspedes a ficarem vestidos desde a hora de almoço antes de um voo intercontinental... que se realiza à noite... Por volta das 5:30 p.m lá fomos nós em direção ao aeroporto internacional de Cancún. Descolamos sem atrasos, por volta das 9:30 p.m (3:30 a.m em Portugal). O voo foi tranquilo, sem grande turbulência mas consegui ver alguns relâmpagos (achei espetacular poder observar aquele fenómeno por cima)! Serviram-nos um jantar e pequeno almoço e dia 31 julho por volta das 12:30 em Portugal aterrámos em Lisboa!

Resumindo: Hotel muito agradável e pequeno o que o torna mais exclusivo. Foi uma boa surpresa! A praia é sem dúvida uma das mais belas do mundo! Para quem deseja viajar para um destino de praia com tudo incluído sem grandes chatices e confusões, este é o local ideal! Além da praia o México é um país que tem muito para ser visitado mas na minha opinião para se ver bastante do interior e disfrutar da praia o ideal é ir mais que uma semana. Caso contrário vais acabar por não disfrutar completamente da praia ou não vais conhecer muito do interior deste magnífico país. 


*As Imagens são todas minhas e não apresentam qualquer tipo de edição.